terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Perplexidade e Humanismo. Ceticismo e Humor.

APRESENTAÇÃO:  EDECILDO TAVARES DA SILVA

Oi pessoal. Eu estou testando esse espaço BLOGAL com alguns textos meus.

Quem me conhece sabe que sou um cara comum, simples mesmo e da paz, apesar da mente "ferver" com os grandes porquês.

Para terem uma ideia de minha pessoa, aqui vai...

Sou muito curioso, e gosto de quase tudo. Sou uma esponja louca de informações, quase um "Geek" ou “Nerd”, ou como dizem alguns, um CDF. Mas sempre digo que apenas leio, o que qualquer um pode fazer.

Sou um guloso consumidor da cultura humana (claro! Só temos a humana, oras)

ADORO música e meio que travei nos anos 80. Adoro o Rock nacional e as românticas. Sou a pessoa mais eclética que conheço.

Me considero um cinéfilo também, e A-D-O-R-O  STAR WARS, STAR TREK, MATRIX, ALIENS,  2001, MAD MAX, TERMINATOR, LORD OF THE RINGS, BEN-HUR, CHAPLIN, etc...

Leio de tudo, mas fico muito na Ficção-Científica. Amo de paixão os livros de Arthur Clarke, Carl Sagan e Isaac Asimov. Esta é a minha praia. Mas leio de tudo, dos clássicos 'a Bíblia.

Amo a vida, as mulheres e a sacanagem. Por mim não existiria casamento monogâmico, e tudo seria uma grande orgia, sem nenhum sentimento de posse.

Admitam, a vida seria uma grande festa. Adoro debater e conversar. Mas fico meio triste, pois as pessoas não ligam muito para "papo-cabeça".

O bom-humor é em tempo integral e acho que viemos ao mundo pelo menos para gozar e tentar ser feliz.

Em resumo, me definiria grosso modo um "Filósofo-Esponja / Bom-Sacana / Bon-Vivant / Contemplativo-Sensível / Pacifista-Humanista”.

             Amem-me ou Odeiem-me

Neste espaço, pretendo me esforçar para explanar a perplexidade e curiosidade infinita que sinto perante todo o cosmo.

Todos já devem ter esboçado tal sentimento e sentido seu impacto pelo menos alguma vez na vida (acho), e devem entender o que quero dizer, mas em mim tal impacto ocupa todo o meu ser por todo o tempo!

Na verdade tal impressão me assola, me invade, me atropela e até mesmo quase me consome.

Não fosse eu um ser tranqüilo e razoável e não tivesse outras fixações (mulher, música, cinema, etc), realmente já teria sucumbido à insanidade ou a alienação, he he he.